quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Copa do Mundo 2014: Um gol contra do Brasil?


Já está confirmado: em 2014 o Brasil sediará a Copa do Mundo da FIFA. No entanto, a sociedade ainda discute, e, com efeito, a validade dos benefícios que um evento – muito mais que meramente esportivo – de tal porte traria ao país.
   São muitos os argumentos de quem é crítico da Copa. Entre os quais, o exacerbado investimento governamental em estádios e obras estruturantes destinadas ao devido suporte, enquanto as periferias das cidades-sede necessitam de fatores triviais, tais como tratamento de esgoto, casas populares, ruas calçadas e educação pública de melhor qualidade. Para eles, a Copa seria uma maquiagem da realidade brasileira, afora o temor de que as construções se tornem um reduto de desvio de dinheiro.
   Entre os que são pró, há a defesa de que o esporte, em sua conjuntura, trará desenvolvimento direto e indireto ao país, em uma significativa melhora na qualidade de vida das pessoas a médio e longo prazo, a saber: aumento da segurança pública, melhoramento dos meios de transporte, geração de empregos em diversas áreas etc. O turismo seria fortalecido, consagrando o Brasil como um dos principais destinos de férias do mundo, num investimento que não pertence somente aos cofres governamentais.
   É natural que o sentimento nacionalista tome cada cidadão, num estado de grande euforia. Entretanto, é imprescindível que os brasileiros reflitam não como torcedores, mas como indivíduos conscientes do potencial e da limitação de seu país, analisando os benefícios e malefícios do evento e cobrando das autoridades que a Copa de 2014 faça do Brasil um exemplo dentro e fora de campo.

Um comentário: