sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Ser passarinho



Tenho a ansiedade; ele, liberdade.
Tenho a vontade de sê-lo, pela sua praticidade,
Pelo seu conhecimento de toda a cidade,
Pela funcionalidade de suas asas, a sua enormidade.
Sua avidez, suavidez, sua simplicidade,
Sua presença nos versos e canções, a sua amabilidade.

A capacidade de enfrentar os desafios com veracidade,
A riqueza que faz dos seus valores, pureza, respeitabilidade.
Se alimenta da humildade, quando não reparte à amizade;
Sensibilidade ao perigo, protege a hereditariedade,
Sem hesitar, sequer um instante, a fidelidade à posteridade.

Conquistam-me a estabilidade do seu voo, o alcance de sua invergabilidade,
Dos seus atos, a fugacidade, efemeridade, dividindo espaço com a intensidade.
Voluptuosidade de morar nas alturas, a mais límpida vivacidade.

Eu vou, ser passarinho,
Eu voo, ser passarinho,
Eu vou ser passarinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário